Membro

Leandro Utino Taniguchi

Nome em citações bibliográficas: TANIGUCHI, Leandro Utino;TANIGUCHI, L;Taniguchi, LU;Tanaguchi, LU;Taniguchi, Leandro U;Taniguchi, L.U.;Leandro Utino Taniguchi;Leandro Taniguchi;Taniguchi, Leandro;Taniguchi, L;ART Investigators;TANIGUCHI,, LEANDRO UTINO;TANIGUCHI, L. U.;Taniguchi LU;TANIGUCHI, LEANDRO U.;Taniguchi, Leandro U.;UTINO TANIGUCHI, LEANDRO;Taniguchi, Leandro Ultino
Leandro Utino Taniguchi

Endereço Profissional:
Hospital das Clínicas da FMUSP


(11) 3069-6336




Especialista em Medicina Intensiva e Doutor em Ciências Médicas.

Possui graduação em Medicina pela Universidade de São Paulo (1999), residência médica em Cirurgia Geral pela Faculdade de Medicina da USP (2001), especialização em Medicina Intensiva pelo HC-FMUSP e Doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009).

Atualmente é médico diarista da UTI do Pronto-Socorro de Clínica Médica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, orientador do programa de pós-graduação senso stricto da Faculdade de Medicina da USP, médico plantonista da UTI do Hospital Sírio Libanês e orientador do programa de pós-graduação senso stricto do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês.

Faz parte do comitê científico da Rede Brasileira de Pesquisa em Medicina Intensiva (BRICNet). Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina Intensiva, atuando principalmente nos seguintes temas: ultrassonografia no doente grave, disfunção orgânica, insuficiência respiratória/terapia e respiração artificial/métodos, perfusão tecidual, distúrbios metabólicos, readmissão em UTI, epidemiologia da doença crítica.


Leandro Utino Taniguchi

Endereço Profissional:
Hospital das Clínicas da FMUSP


(11) 3069-6336




Especialista em Medicina Intensiva e Doutor em Ciências Médicas.

Possui graduação em Medicina pela Universidade de São Paulo (1999), residência médica em Cirurgia Geral pela Faculdade de Medicina da USP (2001), especialização em Medicina Intensiva pelo HC-FMUSP e Doutorado em Ciências Médicas pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009).

Atualmente é médico diarista da UTI do Pronto-Socorro de Clínica Médica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, orientador do programa de pós-graduação senso stricto da Faculdade de Medicina da USP, médico plantonista da UTI do Hospital Sírio Libanês e orientador do programa de pós-graduação senso stricto do Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio Libanês.

Faz parte do comitê científico da Rede Brasileira de Pesquisa em Medicina Intensiva (BRICNet). Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina Intensiva, atuando principalmente nos seguintes temas: ultrassonografia no doente grave, disfunção orgânica, insuficiência respiratória/terapia e respiração artificial/métodos, perfusão tecidual, distúrbios metabólicos, readmissão em UTI, epidemiologia da doença crítica.


Leandro Utino Taniguchi

Currículo Profissional


  • Atuação Profissional
  • Formação acadêmica
  • Formação Complementar
  • Prêmios e títulos
  • Projetos de pesquisa
  • Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, HCFMUSP, Brasil.

2002 – Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Médico Assistente, Carga horária: 42

Atividades

02/2008 – Atual
Treinamentos ministrados , Faculdade de Medicina da USP, .

Treinamentos ministrados
Treinamento de procedimentos em Terapia Intensiva em modelo animal
07/2002 – Atual
Ensino, Medicina Intensiva, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Análise Multivariada
Avaliação hemodinâmica por métodos de imagem
Choque hipovolêmico
Comparação de médias
Fisiologia do lactato
Microcirculação
Pancreatite aguda grave
Regressão Logística
7/2002 – Atual
Serviços técnicos especializados , Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, .

Serviço realizado
Médico assistente.
08/2010 – 11/2010
Ensino, Medicina, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
INTRODUÇÃO A TERAPIA INTENSIVA 2010
07/2002 – 12/2005
Ensino, Medicina, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Reanimação cardiopulmonar I e II parte prática


  • Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

2013 – 2019
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor Colaborador Médico, Carga horária: 12

2007 – 2017
Vínculo: Representativo, Enquadramento Funcional: Suplente do Supervisor – PRM Medica Intensiva

2012 – 2016
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Comissão de Provas das Especialidades Clínica

Atividades

03/2018 – 03/2018
Ensino, Ciências Médicas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Inflamação e resposta imune no doente grave
06/2013 – 06/2013
Ensino, Ciências Médicas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
MCM5901 ?Avaliação Didática de Projetos?
05/2013 – 05/2013
Ensino, Anestesiologia, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Disciplina MAN 5736 – Bases da pesquisa cardiovascular em animais


  • Brazilian Research in Intensive Care Network., BRICNET, Brasil, BRICNET, Brasil.

2014 – Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Comitê científico

Atividades

02/2014 – Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Brazilian Research in Intensive Care Network., BRICNET, Brasil, .

Linhas de pesquisa
Estudos multicêntricos em medicina intensiva


  • Hospital Sírio Libanês, HSL, Brasil.

2013 – Atual
Vínculo: Pesquisa e Desenvolvimento, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 12

2005 – Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Médico Plantonista da UTI

Atividades

01/2013 – Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Unidade de Terapia Intensiva, Instituto de Ensino e Pesquisa – IEP.

Linhas de pesquisa
Epidemiologia e gestão em Unidades Críticas
2012 – Atual
Ensino, Curso de Especialização em Medicina Intensiva, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Especialização em Medicina Intensiva para Adultos
01/2005 – Atual
Serviços técnicos especializados , Unidade de Terapia Intensiva, .

Serviço realizado
Plantões na UTI.
01/2005 – 01/2011
Ensino, Curso Continuado de Terapia Intensiva, Nível: Aperfeiçoamento

Disciplinas ministradas
Distúrbios hidro-eletrolíticos
Fisiopatologia do choque
Sepse abdominal

  • 2005 – 2009

Doutorado em Medicina (Ciências Médicas) (Conceito CAPES 6).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Avaliação imunohistoquímica das alterações do citoesqueleto na parede alveolar em modelo experimental de lesão pulmonar induzida pela ventilação mecânica em ratos, Ano de obtenção: 2009.
Orientador: Irineu Tadeu Velasco.
Palavras-chave: respiração artificial; citoesqueleto; lesão pulmonar induzida por ventilador; ratos; quinase 1 de adesão focal; paxilina.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Anatomia Patológica e Patologia Clínica.
Setores de atividade: Saúde e Serviços Sociais.


  • 2000 – 2002

Especialização – Residência médica.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil. Residência médica em: Cirurgia geral
Número do registro: 25488-3.
Bolsista do(a): Fundação do Desenvolvimento Administrativo, FUNDAP, Brasil.


  • 2004 – 2004

Especialização em Curso de Pós-Graduação L. Sensu Nutrição Clínica. (Carga Horária: 460h).
Grupo de Nutrição Humana, GANEP, Brasil.
Título: Nutrição Enteral em Pancreatite Aguda: Estado atual.
Orientador: Maria de Lourdes T da Silva.


  • 2002 – 2003

Especialização em Medicina Intensiva. (Carga Horária: 2000h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Toll-like receptors.


  • 1994 – 1999

Graduação em Medicina.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.

  • 2020 – 2020

ACLS. (Carga horária: 10h).
Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa, IEP/HSL, Brasil.


  • 2019 – 2019

Curso para determinação de morte encefálica. (Carga horária: 8h).
Associação de Medicina Intensiva Brasileira, AMIB, Brasil.


  • 2019 – 2019

Good Clinical Practice. (Carga horária: 6h).
NIDA Clinical Trials Network, NIDA, Estados Unidos.


  • 2018 – 2018

ACLS. (Carga horária: 10h).
Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa, IEP/HSL, Brasil.


  • 2018 – 2018

The Difficult Airway Course: Critical Care. (Carga horária: 21h).
Difficult Airway Course, DAC, Estados Unidos.


  • 2016 – 2016

Difficult Airway Management. (Carga horária: 22h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2016 – 2016

ACLS. (Carga horária: 10h).
Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa, IEP/HSL, Brasil.


  • 2014 – 2014

ACLS. (Carga horária: 10h).
Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa, IEP/HSL, Brasil.


  • 2014 – 2014

Advanced Critical Care Echocardiography. (Carga horária: 28h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2011 – 2013

Critical Care Ultrasonography Program. (Carga horária: 75h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2012 – 2012

ACLS. (Carga horária: 10h).
Hospital Sírio Libanês, HSL, Brasil.


  • 2012 – 2012

Ultrasonography: Fundamentals in Critical Care. (Carga horária: 30h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2012 – 2012

CRITICAL CARE ECHOCARDIOGRAPHY. (Carga horária: 15h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2012 – 2012

FOCUSED VASCULAR AND PLEURAL ULTRASOUND. (Carga horária: 15h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2011 – 2011

ASSESSMENT OF THE PLEURAL SPACE AND LUNG. (Carga horária: 3h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2011 – 2011

Infection Prevention in Critically Ill Patients. (Carga horária: 2h).
European Society of Intensive Care Medicine, ESICM, Bélgica.


  • 2011 – 2011

ASSESSMENT OF CENTRAL AND PERIPHERAL VESSELS. (Carga horária: 4h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2011 – 2011

FOCUS CARDIAC ULTRASOUND STUDY. (Carga horária: 8h).
American College Of Chest Physicians, ACCP*, Estados Unidos.


  • 2009 – 2009

ACLS. (Carga horária: 10h).
Hospital Sírio Libanês, HSL, Brasil.


  • 2009 – 2009

Curso sobre PICC. (Carga horária: 20h).
ELLU Saúde, ELLU, Brasil.


  • 2007 – 2007

ACLS. (Carga horária: 20h).
Hospital Sírio Libanês, HSL, Brasil.

  • 2019 – 2019 Best Abstracts, European Society of Intensive Care Medicine.

  • 2013 – Best Epidemiological Abstract Sepsis 2013 Rio de Janeiro, International Sepsis Forum.

  • 2013 – American College of Chest Physicians’ Certificate of Completion in Critical Care Ultrasonography, American College of Chest Physicians.

  • 2009 – Membro de Sociedade, European Society of Intensive Care Medicine.

  • 2003 – Médico intensivista, Associação de Medicina Intensiva Brasileira.

  • 2000 – Láurea de excelência acadêmica em Medicina, Universidade de São Paulo.

  • 1999 – Prêmio Dr. Domingos Goulart de Faria como melhor aluno da 82º turma de Medicina, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
  • 2019 – Atual – Estudo IMPACTO-MAPA

Descrição: Trata-se de estudo observacional caso-controle, multicêntrico, com o objetivo de identificar a Mortalidade Atribuível à Sepse em Pacientes Hospitalizados no Brasil. Está incluído no Plano de Ação Nacional de Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos ? Programa IMPACTO MR.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / Luciano César Pontes de Azevedo – Integrante / ZAMPIERI,, FERNANDO GODINHO – Coordenador / Alexandre Biasi Cavalcanti – Integrante.


  • 2019 – Atual – Alta da Unidade de Terapia Intensiva: Comparação entre a predição médica e software Performance®

Descrição: O estudo propõe utilizar o software Performance (Epimed solutions, Rio de Janeiro, Brasil), que é um módulo que avalia o risco de longa permanência de cada paciente na UTI, sendo calculado no primeiro dia de internação e oferece estimativas individuais da mediana de duração de internação e de probabilidade de longa permanência na UTI.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Fernando José da Silva Ramos – Integrante / AZEVEDO, LUCIANO CÉSAR PONTES – Integrante / SALLUH, JORGE. I. F. – Integrante.


  • 2018 – Atual – Implementação de um programa de qualidade para requisição de enzimas cardíacas em pacientes críticos

Descrição: Os pacientes críticos são vulneráveis a eventos cardíacos, especialmente de natureza isquêmica, tanto como causa primária de admissão nas unidades de terapia intensiva (UTI) como um evento secundário durante o decorrer da internação. A dosagem de troponina é sugerida como marcador de eleição pelos guidelines de algumas sociedades de cardiologia clínica assim como de sociedades de patologia clínica. A dosagem de creatina quinase banda miocárdica (CK-MB) não é mais recomendada. Entretanto, o uso inadequado dos recursos laboratoriais tanto para diagnóstico como para monitorização é compreendido atualmente como uma prática de baixo valor clínico (do inglês ?low value care?, um princípio de cuidados de saúde que valoriza a promoção da saúde, evitando danos e ações indevidas, e eliminando práticas que promovam o desperdício de recursos). A iniciativa Choosing Wisely promovida pela sociedade americana de medicina intensiva tem como uma das cinco prioridades o uso racional do laboratório. Neste sentido, a manutenção de pedidos laboratoriais de CKMB em locais com disponibilidade de troponina não agrega valor aos cuidados. Além disso, o pedido concomitante de troponina e de CKMB é inconsistente. Algumas iniciativas de se controlar o uso indiscriminado de solicitação laboratorial de CKMB foram bem-sucedidas. Em todas elas não se verificou eventos adversos com a limitação da solicitação de CKMB, além de redução dos custos. Diversas atitudes foram implementadas para controle: restrição na solicitação, educação continuada ou uso de feedbacks. Apesar disso, nenhuma delas foi feita em ambiente de terapia intensiva, mas a evidência parece ser robusta para implementação neste ambiente. Sendo assim, a implementação de um programa de uso racional de solicitação das enzimas cardíacas na terapia intensiva parece ser um plano promissor para implementar um cuidado de valor. Dessa forma, propomos monitorizar os resultados da implementação de um programa de qualidade num modelo antes-depois.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / José Mauro Vieira Júnior – Integrante / Frederico Augusto Gurgel Pinheiro – Integrante / Natália Sarracceni Tedesco – Integrante.


  • 2017 – Atual – Avaliação de preditores de sucesso de extubação durante o teste de respiração espontânea

Descrição: A ventilação mecânica (VM) faz parte do arsenal médico de suporte de vida há mais de 40 anos. Seu uso, entretanto, está longe de ser isento de complicações. Assim, seu uso deve ser restrito ao menor período de tempo necessário, de forma a evitar os malefícios supracitados. Desta forma, existe um grande interesse em reduzir este período para reduzir o tempo total de VM. Apesar de enormes avanços na área, existem até hoje poucos critérios de boa acurácia para prever o sucesso de desmame da VM e de extubação. Fora isso, entender o motivo da falha da extubação parece ser fundamental para sua prevenção. Sabemos que a descompensação da insuficiência cardíaca é responsável por 14% das falhas de extubação isoladamente e está envolvida em até 33% de tais falhas. Desta forma, uma análise mais acurada do desempenho cardíaco talvez permitisse maior segurança na decisão de extubar um paciente. A avaliação hemodinâmica evoluiu paralelamente com o conceito de UTI nos últimos 40 anos. Inúmeros dispositivos surgiram assim como algumas avaliações bioquímicas ganharam espaço como indicadoras indiretas do estado hemodinâmico durante o teste de extubaçãoa. O gradiente veno-arterial de dióxido de carbono (GVAC), a saturação venosa central de oxigênio (SvcO2) e a ultrassonografia a beira-leito tem conseguido espaço nessa avaliação nos pacientes de UTI. Dessa forma, como a descompensação cardíaca está associada à falha de desmame da VM e de extubação, temos como hipótese que marcadores de avaliação de função cardíaca durante uma prova de extubação se correlaciona com maior incidência de falha de extubação. Propomos, para testar tal hipótese, um estudo observacional prospectivo onde avaliaremos tais parâmetros durante uma prova de respiração espontânea e sua acurácia na avaliação do sucesso de extubação de pacientes em Terapia Intensiva.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Priscila Alves de Araujo – Integrante.


  • 2017 – Atual – Avaliação da concordância entre as prioridades no cuidado do paciente crítico dos médicos residentes com dos médicos assistentes

Descrição: O cuidado do paciente crítico na unidade de terapia intensiva (UTI) é complexo. Geralmente muitas informações relevantes ou não relevantes são fornecidas aos profissionais de saúde encarregados no seu cuidado, e a capacidade de elencar as prioridades é uma das mais relevantes habilidades no manejo de pacientes graves. Entretanto, os residentes estão no começo de suas práticas médicas e provavelmente não tem experiência ou conhecimento ainda para discernir as prioridades, mas esta é uma habilidade potencialmente praticável ao longo da residência. Sendo assim, este estudo tem por objetivo avaliar as diferenças entre as prioridades dadas pelos residentes e médicos intensivistas com experiência durante o estágio em UTI e ao longo da residência.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Pedro Vitale Mendes – Integrante.


  • 2017 – Atual – Avaliação da capacidade prognóstica de residentes, médicos assistentes e familiares de pacientes internados em unidade de terapia intensiva

Descrição: O prognóstico de um paciente é uma das variáveis levadas em conta no momento de se decidir sobre intervenções diagnósticas e terapêuticas de pacientes gravemente enfermos. Além disso, uma estimativa da probabilidade de óbito do paciente costuma ser uma interrogação frequente dos familiares.Embora diversos estudos já tenham se proposto a avaliar a capacidade prognóstica dos médicos em ambientes de terapia intensiva, poucos se propuseram a comparar as previsões de médicos em diferentes momentos de formação e, mais ainda, com a percepção de familiares dos pacientes internados. Sendo assim, o presente estudo tem por objetivo avaliar a capacidade de médicos (assistentes e residentes) e familiares de pacientes internados em UTI de prever o desfecho hospitalar do paciente (sobrevivência ou óbito).

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / Antonio Paulo Nassar Junior – Coordenador / Pedro Vitale Mendes – Integrante / Marina Costa Cavallaro – Integrante / Rachel Lane – Integrante / Bárbara Vieira Carneiro – Integrante.


  • 2017 – Atual – Capacidade de concentração urinária, avaliada pela excreção de uréia, como biomarcador precoce de Injúria Renal Aguda

Descrição: A Injúria Renal Aguda (IRA) aumenta a morbi-mortalidade de pacientes em unidades de terapia intensiva, e seu diagnóstico atualmente é feito com base no volume urinário e na dosagem de creatinina sérica dos pacientes. A diurese pode ser influenciada por fatores externos, como medicações diuréticas ou hormônios como a vasopressina; e a creatinina sérica, além de também ser influenciada por interferentes, não permite diagnóstico precoce de IRA, uma vez que se eleva cerca de 24 a 48h após o insulto que gera a lesão renal. Novos biomarcadores vêm sendo estudados como possibilidade de diagnóstico mais precoce de IRA, mas grande parte deles ainda não está disponível na maior parte dos centros clínicos. A capacidade de concentração urinária é um dos primeiros parâmetros a ser alterar na progressão da doença renal crônica, e pode ser um marcador de recuperação de função renal em pacientes em IRA com necessidade de hemodiálise. Dessa forma, o objetivo do presente estudo é avaliar se a capacidade de concentração urinária, avaliada aqui principalmente pela excreção urinária de uréia, pode ser biomarcador precoce, e amplamente disponível na maioria dos serviços, no diagnóstico de IRA.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / Camila Eleutério Rodrigues – Coordenador / Lucia da Conceição Andrade – Integrante / Talita Rojas da Cunha Sanches – Integrante / Victor Faria Seabra – Integrante.
Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – Auxílio financeiro.


  • 2017 – Atual – Impacto da síndrome de fragilidade na mortalidade hospitalar de pacientes críticos submetidos a terapia nutricional

Descrição: Fragilidade é uma síndrome multidimensional caracterizada pela perda de reserva funcional e cognitiva, que confere ao indivíduo uma maior vulnerabilidade a eventos adversos. Sendo assim, são necessários novos estudos que avaliem o impacto da síndrome de fragilidade na população de pacientes críticos, particularmente naqueles que necessitam de terapia nutricional parenteral e enteral, onde o grau de capacidade funcional deve ser levado em consideração na prescrição das necessidades calórico-proteicas. O objetivo do estudo é avaliar o impacto da síndrome de fragilidade, avaliada pelo Clinical Frailty Scale (CFS), na mortalidade hospitalar de pacientes críticos submetidos a terapia nutricional.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Paulo Cesar Ribeiro – Integrante / Ellen Maria Pires Siqueira – Integrante / Ivens Augusto Oliveira de Souza – Integrante.


  • 2017 – Atual – Validação do NUTrition Risk in the Critically Ill (NUTRIC Score) com uso do SAPS 3

Descrição: A avaliação de risco nutricional é mandatória em todos os pacientes admitidos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), segundo as últimas recomendações internacionais. Sabidamente, os pacientes de alto risco são os que mais potencialmente se beneficiam de uma intervenção nutricional com uso de nutrição enteral e/ou parenteral. Sendo assim, a estratificação do risco nutricional é imperativo para o ajuste adequado dessa terapia no doente crítico. Nesse sentido, o NUTrition Risk in the Critically Ill (NUTRIC Score) é o primeiro instrumento de avaliação de risco nutricional validado, especificamente, para pacientes críticos. O modelo conceitual do NUTRIC Score é pontuar marcadores de inflamação e desnutrição aguda e crônica, com ênfase na gravidade do paciente no momento da admissão na UTI. A gravidade da doença, entretanto, é dada pela utilização dos escores tradicionais de gravidade como o APACHE II e o SOFA. Infelizmente, a maioria das UTIs têm optado pela utilização de escores prognósticos mais modernos, como o SAPS 3. Sendo assim, torna-se necessária a validação do NUTRIC Score com a utilização do SAPS 3 como escore prognóstico, ao invés do APACHE II. O objetivo do presente estudo é validar o NUTRIC Score com a utilização do SAPS 3 ao invés do APACHE II e avaliar a aplicabilidade do NUTRIC Score em predizer aqueles pacientes que mais se beneficiam de uma adequação calórico-proteica.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Paulo Cesar Ribeiro – Integrante / VIEIRA JR., JOSE MAURO – Integrante / Ivens Augusto Oliveira de Souza – Integrante.


  • 2017 – Atual – Avaliação de um modelo preditor de mortalidade em unidade de terapia intensiva desenvolvido através de um algoritmo machine learning

Descrição: A predição estimada de mortalidade em unidades de terapia intensiva (UTI) é frequentemente utilizada para fins de benchmarking e comparação entre unidades. A utilização de escores prognósticos é obrigatória nas UTIs brasileiras para tais finalidades. Entretanto, para manter a simplicidade algumas variáveis relevantes acabam ficando de fora desses escores prognósticos. Na sua concepção e desenvolvimento, os escores prognósticos surgem de técnicas de regressão logística, que apresentam suas limitações. Notadamente, o número de dados possíveis de serem imputados e analisados é uma grande limitação. Além disso, na era do ?Big Data?, um número crescente de dados passíveis de serem analisados está disponível, mas carece de formas adequadas de avaliação. Nesse sentido, técnicas computacionais modernas como machine learning, que utiliza algoritmos computacionais modernos e avançados capazes de processar um número muito grande de dados, surgem como oportunidades novas de estudo. A proposta deste estudo consiste em avaliar a capacidade preditiva de mortalidade de um modelo construído através de machine learning em comparação com modelos tradicionalmente utilizados na prática cotidiana.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / José Mauro Vieira Júnior – Integrante.


  • 2017 – Atual – Impacto da adequação calórico-proteica na mortalidade hospitalar de pacientes críticos frágeis submetidos a terapia nutricional

Descrição: Fragilidade é uma síndrome multidimensional caracterizada pela perda de reserva funcional e cognitiva, que confere ao indivíduo uma maior vulnerabilidade a eventos adversos.O estado de fragilidade, está intimamente relacionado com um maior numero de comorbidades, sarcopenia e desnutrição, e tem sido associado de forma independente com piores desfechos intra-hospitalares e a longo prazo. Pacientes críticos desnutridos e aqueles considerados de alto risco nutricional, são os que mais se beneficiam de uma adequação calórico-proteica durante a sua internação na UTI. Uma vez que o estado de fragilidade não é geralmente contemplado nas avaliações nutricionais em UTI, torna-se necessária a avaliação do impacto da adequação calórico-proteica na população de pacientes frágeis admitidos nas UTIs.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Paulo Cesar Ribeiro – Integrante / Ivens Augusto Oliveira de Souza – Integrante.


  • 2017 – Atual – Estudo randomizado, fatorial 2×2, para avaliar o efeito de uma solução cristaloide balanceada em comparação ao cloreto de sódio a 0,9%, e infusão rápida versus lenta, nos desfechos clínicos de pacientes gravemente enfermos(BaSICS – Balanced Solution versu)

Descrição: A administração de fluidos com objetivo de restabelecer a volemia intravascular de pacientes graves é uma das intervenções mais comuns na medicina intensiva. Atualmente, diversos tipos de fluidos estão disponíveis à beira do leito para o tratamento de pacientes graves, a serem escolhidos pelas equipes assistenciais. Entretanto, existe um número crescente de evidências demonstrando que o tipo, a quantidade e tempo de administração dos fluidos podem influenciar o desfecho dos pacientes. O cloreto de sódio a 0,9% (salina 0,9%) é o cristalóide mais disponível e utilizado em todo o mundo, mas estudos experimentais, clínicos e metanálises sugerem que a ressuscitação com solução salina 0,9% é deletéria para os rins, para o equilíbrio ácido-básico, para homeostase de eletrólitos (acidose metabólica hiperclorêmica). O Plasma-Lyte® é um cristalóide balanceado, com osmolalidade de 294 mOsm/L, e com concentrações de sódio e cloro de, respectivamente, 140 mmol/L e de 98 mmol/L. Considerando-se os eventos adversos relacionados à solução salina descritos anteriormente, tem-se postulado que os cristalóides balanceados podem ser os fluídos ideais para ressuscitação de pacientes graves. Em resumo, a literatura atual sugere que a ressuscitação de pacientes graves com solução salina a 0,9% está associada a uma maior incidência de distúrbios do equilíbrio ácido-base e distúrbios eletrolíticos. Além disto, quanto maior a velocidade de infusão, mais o fluido alterará o equilíbrio ácido-básico (induzindo alterações de cloro, por exemplo) visto que a sua diluição imediata dar-se-á pelo plasma e não pela água corpórea total. Desta forma, uma das perguntas fundamentais a ser avaliadas é se, juntamente com a composição, a velocidade de infusão do fluido pode alterar o desfecho em pacientes graves. Dada a ampla utilização da solução salina a 0,9% nas UTI nacionais e seus potenciais efeitos deletérios, a segurança e a eficácia das soluções balanceadas (Plasma-Lyte® ou Ringer Lactato) em comparação a solução salina para ressuscitação de pacientes graves precisam ser avaliadas em um ensaio clínico randomizado multicêntrico e pragmático. Adicionalmente, é imperativo que o efeito do uso de velocidades de infusão mais rápidas seja comparado com velocidades mais lentas. Trata-se de um estudo que visa avaliar os efeitos clínicos de duas intervenções através de estudo fatorial, a saber: (1) Comparar solução salina a 0.9% com Plasma-Lyte®; (2) comparar uma velocidade de infusão mais rápida (999 mL/h) com uma velocidade mais lenta (333 mL/h) durante as provas volêmicas..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / ZAMPIERI,, FERNANDO GODINHO – Integrante / Flávia Ribeiro Machado – Integrante / Alexandre Biasi Cavalcanti – Coordenador / AZEVEDO, LUCIANO CÉSAR PONTES – Integrante / Letícia Kawano Dourado – Integrante / Juliana Borges Oliveira – Integrante / Thiago Domingos Correa – Integrante / Murillo Assunção – Integrante / Suzana Margareth Ajeje Lobo – Integrante / Otávio Berwanger – Integrante / Nilton Brandão – Integrante / John A Kellum – Integrante / Derek C Angus – Integrante.


  • 2015 – Atual – Análise do paciente crítico crônico e o impacto na qualidade de vida dos pacientes e familiares

Descrição: Diferente dos pacientes internados na UTI com controle da instabilidade e recuperação funcional, o paciente crítico crônico é aquele paciente que sobreviveu à fase aguda da doença e evoluiu cronicamente. Tem uma permanência prolongada na UTI associada à ventilação mecânica invasiva e muitas vezes de traqueostomia. Geralmente o paciente crítico crônico tem idade mais avançada, escores de gravidade mais elevados, complicações importantes com alta taxa de mortalidade. O retorno ao lar muitas vezes é sofrido em decorrência da mudança do estilo de vida, ou seja, requerem cuidados especiais devidos sua condição crítica de saúde, não raro se encontra dependente para os cuidados básicos, precisando de cuidadores. A família passa por situações de estresse, mudança na qualidade de vida com perda financeira e problemas no emprego. Por se tratar de um cenário relativamente novo, há poucos estudos realizados, principalmente no Brasil. Os objetivos deste estudo multicêntrico são: verificar o impacto da doença do paciente crítico crônico na qualidade de vida e no quadro emocional dos pacientes e de seus familiares durante e após internação na Unidade de Terapia Intensiva (30 e 90 e 180 dias após UTI); verificar o nível de dependência segundo o índice de KATZ em 30 e 90 e 180 dias após alta da UTI; caracterizar os pacientes críticos crônicos, por definições já estabelecidas na literatura, de acordo com o tratamento realizado, escores de prognóstico e desfechos na UTI; comparar os grupos de pacientes críticos crônicos admitidos na UTI do Hospital Sírio-Libanês com os pacientes de Hospital Público terciário (Hospital das Clínicas e Grajaú) que atende uma população diferenciada assim como suas patologias..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Marcelo Park – Integrante / Renata Rego Lins Fumis – Integrante / José Mauro Vieira Júnior – Integrante.


  • 2014 – 2016 – FLUIDOS – Uma avaliação transversal da prática de ressuscitação com fluidos

Descrição: Estudo multicêntrico, observacional, de um só dia, procurando determinar as tendências na prescrição de fluidos intravenosos na ressuscitação e determinar fatores que influenciam essa escolha. O estudo está sendo feito em parceria com a Australian and New Zealand Intensive Care Society. Centros coordenadores: Disciplina de Anestesiologia, Dor e Terapia Intensiva da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Fundação Instituto Oswaldo Cruz FIOCRUZ e Instituto D Or de Pesquisa e Ensino (IDOR Rio de Janeiro). Planeja-se incluir entre 150 e 200 centros, com data prevista para 10 de dezembro de 2014..

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / Noritomi, Danilo Teixeira – Integrante / Azevedo, Luciano Cesar Pontes – Integrante / Marcio Soares – Integrante / Flávia Ribeiro Machado – Coordenador / Fernando Augusto Bozza – Integrante / Thiago Costa Lisboa – Integrante / Glauco Adrieno Westphal – Integrante / Ludhmila Abrahão Hajjar – Integrante / Felipe Dal-Pizzol – Integrante / Jorge Ibrain Figueira Salluh – Integrante / Alexandre Biasi Cavalcanti – Integrante / Bruno Franco Mazza – Integrante / Murillo Santucci Cesar de Assunção – Integrante / Flávio Geraldo Rezende de Freitas – Integrante / Antonio Tonete Bafi – Integrante / André Miguel Japiassú – Integrante.


  • 2014 – Atual – Efeito da expansão volêmica na diurese de pacientes sépticos

Descrição: O uso de fluidos faz parte da ressuscitação hemodinâmica em uma miríade de condições clínicas, como sepse, desidratação, entre outras. Sua administração durante a doença crítica é usualmente feita em alíquotas (habitualmente denominada prova volêmica). A diurese é habitualmente utilizada como um marcador de necessidade de expansão volêmica. Embora frequentemente a oligúria seja um gatilho para a expansão volêmica, é incerto se em situações de grande inflamação sistêmica, como na sepse, a prova de volume é capaz de aumentar o fluxo urinário. Isto ocorre porque os mecanismos que desencadeiam a oligúria na doença crítica não são bem estabelecidos, mas provavelmente envolvem disfunção tubular além de hipofluxo decorrente de distúrbios macro-hemodinâmicos usualmente presentes na doença crítica. Poucos estudos avaliaram até o momento o impacto de uma prova volêmica no ritmo de diurese. Um dos poucos relatos foi em pacientes com pré-eclâmpsia, que representa uma população muito específica e não-representativa do ponto de vista fisiopatológico dos pacientes usuais na terapia intensiva. Este trabalho tem por objetivo avaliar de forma prospectiva o efeito de uma expansão volêmica no fluxo urinário, nos parâmetros ecocardiográficos e no Doppler renal durante a sepse.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Pedro Vitale Mendes – Integrante / Marcelo Park – Integrante / ZAMPIERI,, FERNANDO GODINHO – Integrante.


  • 2014 – Atual – Racionalização de recursos diagnósticos em Patologia Clínica: Evolução da solicitação de exames laboratoriais no ICHC-FMUSP

Descrição: O projeto ?RACIONALIZAÇÃO DE RECURSOS DIAGNÓSTICOS EM PATOLOGIA CLÍNICA: EVOLUÇÃO DA SOLICITAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS NO ICHC-FMUSP? é um projeto pioneiro na área de gestão em saúde, que muito contribuirá para as boas práticas assistenciais em nossa e em outras instituições de ensino médico. Seguindo nessa linha, como desdobramento dos trabalhos executados pelo grupo de estudos da DLC no período de 2010 a 2013, pretende-se aprofundar a investigação e intervir junto ao corpo clínico do HC visando a: a) conhecer melhor a visão dos residentes sobre a solicitação de exames laboratoriais; b) ampliar o espectro de ações de estímulo ao uso racional do laboratório clínico; e c) acompanhar a evolução das solicitações de exames ao longo do tempo. A justificativa da pesquisa é a ideia de que a sinergia entre o maior conhecimento das peculiaridades da solicitação de exames laboratoriais e um conjunto de intervenções visando ao seu uso racional são parte da assistência médica de boa qualidade com custo sustentável.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / Arnaldo Lichtenstein – Integrante / Mario Ferreira-Júnior – Integrante / Francisco Bueno de Aguiar – Integrante / Luiz Augusto M. Fonseca – Integrante / Nairo M. Sumita – Integrante / Alberto J.S. Duarte – Integrante / Maria Mirtes Sales – Coordenador.


  • 2013 – 2018 – Influência das alterações bioquímicas urinárias e séricas sobre o índice de resistividade renal em pacientes críticos e evolução durante injúria renal aguda

Descrição: O uso de cristaloides representa uma terapia comum na prática médica. Contudo, o uso de grandes alíquotas de soro fisiológico pode estar associado a uma série de complicações, como acidose hiperclorêmica, que pode ocasionar efeitos deletérios na fisiologia renal. A infusão de soluções ricas em cloro em modelos animais foi associada a diminuição das taxas de filtração glomerular e de fluxo sanguíneo renal, provavelmente secundário a vasoconstricção das arteríolas aferentes e intrarenais. Em um grande estudo observacional em humanos a restrição no uso de soluções ricas em cloro foi associada a menor incidência de injúria renal aguda (IRA) e necessidade dialítica em pacientes críticos. Dessa forma, faz-se necessário a utilização de ferramentas para o diagnóstico de alteração de fluxo sanguíneo renal durante variações de cloremia. Sabe-se hoje da importância da ultrassonografia na avaliação da vasculatura renal, com algumas inferências importantes sobre a perfusão renal. Recentemente, tem-se utilizado o Índice de Resistividade (IR) como uma ferramenta para avaliação da perfusão renal em pacientes críticos, sendo considerado um preditor de IRA em pacientes com sepse grave e em ventilação mecânica. Contudo, não se sabe a real influência de variações nos níveis séricos de cloro na avaliação do IR, e não há dados robustos na literatura sobre o comportamento do IR frente a variações dos demais eletrólitos, sejam séricos ou urinários, muito menos durante a evolução da IRA. Assim, o objetivo desse estudo é avaliar a influência das variações diárias da bioquímica urinária e sérica no índice de resistividade renal em pacientes críticos antes do aparecimento de IRA e durante sua evolução.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Marcelo Park – Integrante / Raphael Augusto Gomes de Oliveira – Integrante.


  • 2013 – 2016 – Avaliação de marcadores laboratoriais associados à readmissão de pacientes após alta da unidade de Terapia Intensiva, com ênfase na população onco-hematológica

Descrição: Apesar da recuperação inicial após a permanência em uma unidade de terapia intensiva (UTI), os pacientes críticos permanecem susceptíveis a novas intercorrências, o que muitas vezes requer readmissão na UTI. Tal readmissão está associada a aumento de mortalidade e de permanência hospitalar. A identificação precoce dos pacientes de risco poderia permitir a alocação de recursos apropriados para se prevenir esse aumento de morbidade e mortalidade. Sendo assim, o reconhecimento dos fatores associados à readmissão é importante, visto que algumas das mortes após a alta da UTI aparentemente são preveníveis. Alguns fatores já foram identificados como: idade, gravidade na internação da UTI, comorbidades, horário da alta da UTI, cirurgia de urgência, alta para unidades de alta dependência. Mais recentemente, a dosagem da proteína C-reativa (PCR) também foi demonstrada como preditora de readmissão após alta da UTI, assim como hipoalbuminemia. Porém, nenhum desses estudos avaliou adequadamente os pacientes imunossuprimidos, especialmente onco-hematológicos, que vem aumentando consideravelmente no ambiente de terapia intensiva. Como as comorbidades decorrentes do câncer e do tratamento quimioterápico são prolongadas e perduram além da UTI, essa é uma população particularmente de risco de readmissão e de suas consequências. Mas essas mesmas condições podem modificar a resposta inflamatória do paciente oncológico à condição crítica, de tal modo que os marcadores discutidos (como PCR e albumina sérica) podem não se correlacionar com a readmissão nessa população. A proposta deste estudo consiste em avaliar em pacientes críticos, especialmente onco-hematológicos, se a dosagem da PCR e da albumina pode predizer readmissão na UTI.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Luciano Cesar Pontes de Azevedo – Integrante / Guilherme Paula Schettino – Integrante / Cinthia Mendes Rodrigues – Integrante.


  • 2013 – 2014 – Estudo Multicêntrico Brasileiro Sobre Traqueobronquite Associada a Ventilação Mecânica

Descrição: A traqueobronquite associada a ventilação mecânica (VAT) é uma entidade comum em pacientes críticos sob ventilação mecânica com uma incidência que varia entre 2.7% – 10%. Não há critérios definidos para o diagnóstico de VAT e eles se assemelham aos critérios utilizados para diagnóstico de Pneumonia Associada a Ventilação Mecânica (VAP), como febre, leucocitose ou leucopenia, aumento da quantidade de secreção purulenta ou modificação da sua característica, associada a identificação microbiológica e na ausência de infiltrado na radiografia de tórax. Apesar da incidência de VAT ter sido associada a maior duração da ventilação mecânica e a maior tempo de permanência na UTI em estudos preliminares, um estudo multicêntrico randomizado francês não conseguiu confirmar esses resultados. Além disso, o início de antimicrobianos para os pacientes deste estudo que tiveram diagnóstico de VAT não foi capaz de diminuir o tempo de ventilação mecânica nem teve impacto na mortalidade. O presente estudo tem como finalidade avaliar a epidemiologia de VAT e suas implicações nos desfechos clínicos de pacientes internados em UTI e submetidos a ventilação mecânica invasiva.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / RANZANI, OTAVIO T. – Integrante / Jorge Salluh – Coordenador / Lígia Sarmet Cunha Farah Rabello – Integrante / Marcio Soares – Integrante / Luiz Marcelo Sá Malbouisson – Integrante / Fabiola Prior Caltabeloti – Integrante.


  • 2013 – 2013 – Como administramos fluídos na UTI? Uma semana em 2013 – Um estudo multicêntrico observacional conduzido pela ESICM

Descrição: Os fluidos são uma das terapias mais comuns utilizadas em pacientes graves e constituem a pedra angular do manejo hemodinâmico. Na hemorragia franca, os fluidos são frequentemente administrados sem guia com monitorização hemodinâmica específica. Em outras condições, quando a hipovolemia é mais sutil, ou quando a resposta é mais variável, os fluidos são frequentemente administrados de uma forma mais parcimoniosa através da monitorização do seu impacto hemodinâmico. Esta prática, denominada prova volêmica, foi proposta por Max Harry Weil há mais de 30 anos.1 No Reino Unido há orientações sobre a administração de fluidos no período perioperatório de pacientes de alto risco cirúrgico e as diretrizes recomendam o uso dos mesmos para otimização do volume sistólico.9 Além dessas situações específicas, a administração de fluidos não é citada em diretrizes atuais. A maneira como os fluidos são administrados varia amplamente. Indicações para a infusão de volume e monitorização dos seus efeitos não são padronizados e podem, assim, levar a heterogeneidade na prática.O objetivo deste estudo é avaliar como os fluidos são administrados em diversas UTIs ao redor do mundo e em diversos cenários clínicos com diferentes formas de monitorização..

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / Ary Serpa Neto – Coordenador / Eliezer Silva – Integrante.


  • 2013 – Atual – Clearance de catecolaminas em pacientes críticos com injúria renal aguda submetidos à hemofiltração veno-venosa contínua

Descrição: A injúria renal aguda é uma síndrome caracterizada por uma rápida perda da capacidade de excreção renal com elevada prevalência em unidades de terapia intensiva. Dentre os planos terapêuticos disponíveis observa-se a necessidade de terapia de substituição renal para seu adequado manejo. A maioria dos filtros utilizados nos métodos contínuos possui poros permeáveis a moléculas de até 30 KDa, potencialmente permitindo o clearance de moléculas de baixo e médio peso molecular, como as catecolaminas. Entretanto, efeito da remoção das catecolaminas sobre parâmetros hemodinâmicos foi pouco estudado. Assim, o objetivo desse estudo é avaliar o efeito da hemofiltração veno-venosa contínua no clearance de catecolaminas em pacientes críticos com injúria renal aguda baseado na mensuração dos seus níveis no plasma e no ultrafiltrado.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Pedro Vitale Mendes – Integrante / Raphael Augusto Gomes de Oliveira – Integrante / Etienne Macedo – Integrante.


  • 2013 – Atual – Efeitos cardiovasculares e inflamatórios do tratamento com insulina, glicose e potássio em modelo suíno de sepse

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Luciano Cesar Pontes de Azevedo em 10/09/2013.

Descrição: A sepse constitui condição clínica de alta morbidade e mortalidade, sendo frequentemente agravada por disfunção cardíaca, esta explicada pelos mecanismos associados à fisiopatologia, como liberação de mediadores inflamatórios causando redução da contratilidade. Estudos prévios indicam que a insulina seria capaz de induzir o consumo de glicose no lugar de ácidos graxos como substrato para produção de energia pelos cardiomiócitos e esta conversão seria mais adequada para condições de baixo aporte de oxigênio, já que a via glicolítica consome menos oxigênio para produção de mesma quantidade de energia. Além disso, a insulina também poderia ser benéfica por proporcionar dilatação das coronárias, favorecendo a perfusão cardíaca e reduzindo a morte celular por infarto ou apoptose; por reduzir o consumo de cálcio pelos cardiomiócitos, melhorando a perfusão microvascular e, ainda, por reduzir a resposta inflamatória exacerbada. Assim, este estudo de intervenção tem como objetivo comparar a função cardíaca e a resposta inflamatória por meio de parâmetros hemodinâmicos, exame ecocardiográfico, dosagem de troponina e de mediadores inflamatórios entre dois grupos de suínos com sepse induzida por peritonite fecal: um tratado com insulina, glicose e potássio e outro que receberá apenas o tratamento convencional.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / Marcelo Park – Integrante / Luciano Cesar Pontes de Azevedo – Coordenador / Eduardo Costa leite – Integrante / Tabatha do Amaral Kalenski Serrano – Integrante / Fernando José da Silva Ramos – Integrante.


  • 2012 – 2014 – Análise do perfil epidemiológico de pacientes que faleceram com sepse no Brasil

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Luciano Cesar Pontes de Azevedo em 10/09/2013.

Descrição: Os cuidados de pacientes graves desempenham um papel fundamental no contexto da medicina moderna, não apenas pela elevada frequência destas condições como também pelos enormes custos despendidos em seu tratamento. A realização de estudos epidemiológicos abrangentes utilizando-se bases de dados secundários pode ser útil para o estabelecimento de políticas especificas de saúde e a alocação adequada de recursos. No Brasil, o SUS disponibiliza bases de dados secundárias de óbitos, além de outras bases de dados com informações relevantes do ponto de vista epidemiológico. Contudo, poucos estudos utilizaram tais bases para estudar a epidemiologia de pacientes graves no Brasil. Este estudo tem o objetivo de caracterizar o perfil epidemiológico de pacientes que faleceram com sepse no Brasil. Para tal, dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) e do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) serão analisados através de análise retrospectiva descritiva e análise de séries temporais interrompidas.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Integrante / Luciano Cesar Pontes de Azevedo – Coordenador / Ana Luiza Bierrenbach – Integrante / Cristiana M Toscano – Integrante.


  • 2012 – Atual – Fatores de Risco Relacionados a Óbito Precoce em Unidade de Terapia Intensiva

Descrição: A mortalidade na UTI ainda é alta e uma parte dos óbitos ocorre precocemente, nas primeiras 24 horas de admissão. As causas de óbito na UTI são variáveis e podem depender principalmente da gravidade da doença, da população de pacientes analisada e da qualidade de cuidados dispensada. Um fator implicado na mortalidade e pior desfecho de pacientes críticos pode ser o atraso na admissão do paciente em UTI. O desfecho de pacientes críticos também podem depender do atraso na realização de intervenções clínicas, e o impacto do atraso na admissão em UTI não é bem estabelecido. Os óbitos precoces podem não estar somente relacionados à gravidade, à evolução fulminante dos casos e ao atraso na admissão na UTI. Não existem trabalhos consistentes na literatura que avaliem fatores implicados à mortalidade precoce e que os correlacionem a piores desfechos. Este estudo tem como objetivo avaliar variáveis associadas à mortalidade precoce em UTI.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Guilherme Kubo – Integrante / Liane Brescovici Nunes – Integrante.


  • 2012 – Atual – Avaliação de desfechos dos pacientes com Doença Falciforme em Unidade de Terapia Intensiva

Descrição: A doença falciforme é a condição hematológica hereditária mais comum do mundo. No Brasil, 0,1 a 0,3% da população é afetada pela doença e estima-se a existência de pelo menos dois milhões de portadores. Ao se utilizar dos dados do Sistema de Internações Hospitalares do Sistema Único de Saúde entre os anos de 2000 e 2002, identifica-se que as internações no SUS por doença falciforme representaram 0,1% em São Paulo. O tempo médio de internação foi de 4 a 5 dias e a mediana de idade dos óbitos foi em torno de 30 anos, sendo que a taxa de mortalidade variou de 1 a 2%. A expectativa de vida dos pacientes portadores de hemoglobinopatias vem melhorando de forma consistente desde 1960. Entretanto, apenas 50% dos portadores de anemia falciforme sobreviveram além de 50 anos. A curta expectativa de vida deve-se a diversas complicações relacionadas à doença que acarretam internações frequentes e aumento de mortalidade hospitalar, tais como: crise álgica, síndrome torácica aguda, infarto agudo do miocárdio, infecções e complicações cirúrgicas. Percebe-se, assim, que a doença falciforme vem se tornando uma condição crônica que proporciona lesões irreversíveis de órgãos e sistemas, comprometendo de forma considerável a qualidade de vida e a sobrevida de seus portadores. Diante do exposto, observa-se que a doença falciforme é uma condição que predispõe a inúmeras comorbidades e falhas orgânicas agudas, muitas vezes com necessidade de tratamento em uma Unidade de Terapia Intensiva. Porém, há poucos dados na literatura sobre os desfechos desses pacientes, mesmo quando consideramos a faixa etária pediátrica. Assim, a proposta deste estudo é buscar um melhor entendimento da evolução dos pacientes falciformes admitidos em unidades de terapia intensiva, procurando descrever as comorbidades e outros fatores que contribuíram para internações, intercorrências durante as mesmas, tratamentos realizados, além da identificação de preditores de mortalidade.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Marcelo Park – Integrante / Daniel Vitório Veiga dos Santos – Integrante / Vivian Vieira Tenório Sales – Integrante / Guilherme Fonseca – Integrante.


  • 2011 – Atual – Influência do CO2 na mensuração do excesso de base em pacientes críticos

Descrição: O objetivo do nosso estudo é avaliar a influência da retenção aguda de CO2 na mensuração do BE em pacientes de UTI durante a prova de apnéia realizada como parte do protocolo de morte encefálica.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Marcelo Park – Integrante / Maciel, Alexandre Toledo – Integrante / Leonardo Borges de Barros e Silva – Integrante / Edvaldo Leal de Moraes – Integrante.


  • 2011 – Atual – Quantificação dos ânions não-mensuráveis através do SIG e do ânion gap durante cetoacidose diabética

Descrição: A comparação da mensuração dos ânions não-mensuráveis através do SIG e do ânion gap durante o curso da cetoacidose deve-se correlacionar com a dosagem dos corpos cetônicos. Sendo assim, nosso projeto se propõe a comparar a mensuração dos ânions não-mensuráveis na cetoacidose diabética através do SIG e do ânion gap com a dosagem quantitativa dos corpos cetônicos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Marcelo Park – Integrante / Maciel, Alexandre Toledo – Integrante / Azevedo, Luciano Cesar Pontes – Integrante.


  • 2010 – 2012 – Avaliação da aplicabilidade dos parâmetros dinâmicos de responsividade a volume em pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva

Descrição: Documentar a aplicabilidade de métodos para predizer responsividade volêmica na unidade de terapia intensiva. Estudar a freqüência e quais parâmetros foram utilizados para avaliar resposta a volume, quando decidido por expansão volêmica.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Pedro Vitale Mendes – Integrante / Leandro Costa Miranda – Integrante.


  • 2009 – 2015 – A variação do gap veno-arterial de CO2 durante um teste de respiração espontânea e sua correlação com sucesso de extubação

Descrição: Avaliação da variação do gap veno-arterial de CO2 durante um teste de respiração espontânea e sua capacidade de predição de extubação.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Fernando Godinho Zampieri – Integrante.


  • 2005 – 2009 – Avaliação imunohistoquímica das alterações do citoesqueleto na parede alveolar em modelo experimental de lesão pulmonar induzida pela ventilação mecânica em ratos

Descrição: Estudo das alterações do citoesqueleto em modelo experimental de lesão pulmonar induzida pela ventilação mecânica em ratos.

Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Leandro Utino Taniguchi – Coordenador / Caldini, Elia Garcia – Integrante / Negri, Elnara Márcia – Integrante. Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – Outra.


Publicações no blog da BRICnet:



LogoBRICnet

Brazilian Research in Intensive Care Network – BRICNet, uma rede brasileira, independente e colaborativa para a realização de estudos clínicos na área de medicina intensiva.

Publicações recentes